Desafios de aprendizagem neste momento de isolamento social

Berenice Ody . Neuropsicopedagoga clínica CBO 239415 . psicóloga do Nap . contato@napvs.com.br

A escola é um espaço de socialização, um laboratório de aprendizagens, onde as relações acontecem e os conhecimentos se aprimoram. O convívio diário, as diferentes maneiras de ver o mundo permeiam as aprendizagens constantes.

E agora, como fica todo esse universo, em meio a este isolamento social? Hoje, agora, estamos todos juntos em família…antes, nos víamos pouco, diante da correria e compromissos de nossas rotinas. Muitas vezes, nem nos ouvíamos ou estávamos atentos as necessidades de cada membro familiar e de repente, estamos todos convivendo num mesmo espaço, nos (re)conhecendo enquanto integrantes de um mesmo grupo, com nossas necessidades, limitações sendo atendidas ou não.

Como estão as aprendizagens? A escola está se adaptando às tecnologias ativas, tentando restabelecer os vínculos afetivos, buscando variadas atividades para que o conhecimento continue se estabelecendo nos diversos ambientes familiares. Muitos pais têm se queixado sobre o acúmulo de vídeos, questionários, tarefas que a escola envia. Seus filhos nem sempre querem fazer o que é enviado, e as vezes, a família não sabe ou não consegue ajudar na resolução das situações de aprendizagem que se apresentam…Por outro lado, os professores também se veem mergulhados em pesquisas, correções, respostas aos pais e alunos, aulas virtuais e a ansiedade cresce para todos os envolvidos.

Como estão as dificuldades de aprendizagem? Elas continuam ocorrendo, pois antes da pandemia, estavam lá, com cada criança ou adolescente e não desapareceram…Quem de fato assume o que está ocorrendo? São questionamentos que faço, pois como neuropsicopedagoga clínica, sei que muitos fatores e destratores estão influenciando o não entendimento de como se processo a aprendizagem.

Como fazer? Oriento que havendo muitas dificuldades no momento de leituras, resolução de problemas, cálculos etc., que as famílias busquem ajuda. Não se cobrem se não sabem ou não conseguem acompanhar efetivamente. Se perdoem, se permitam ter ajuda de outra pessoa para estes momentos. Criem na sua rotina doméstica, um momento de estudo, estruturem um local onde se possa ter concentração, desligando as telas todas. Se ainda assim, não houver motivação da criança ou do adolescente para estudar, converse, explique o momento, as tarefas e combine algo prazeroso. Veja qual é o momento que a criança está mais produtiva, atenta e aproveite para propor as tarefas da escola. Criar uma rotina de estudo é importante, e já era assim, antes da pandemia…

Quantas vezes, a escola buscava esta parceria com a família? A dica mais importante é o diálogo. Entender e respeitar as necessidades e limitações de cada criança ou adolescente. Este momento está sendo difícil para todos. Estamos ansiosos, com medo, não sabemos ao certo qual a verdade que se apresenta diante de tantas desinformações nos meios de comunicação. Vamos errar e acertar. Assim aprendemos. Estamos diante de uma mesma tempestade, porém em barcos diferentes. Cada barco com sua tripulação e liderança. Assim, cansamos, ficamos tristes, talvez irritados, pois somos humanos e devemos nos permitir e nos perdoar. Acreditar que após a tempestade, um dia de sol chegará e nos encontrará mais fortalecidos, mais unidos e solidários.

Publicado por revistavitrini

Revista que tem o foco de expandir negócios, promover empresas e trazer artigos de utilidade e informativos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: