Saiba como controlar o carro em situação de risco

http://g1.globo.com/Noticias/Carros/0,,MUL586865-9658,00-SAIBA+COMO+CONTROLAR+O+CARRO+EM+SITUACAO+DE+RISCO.html

Situações inesperadas no trânsito causam reações instintivas, mas que nem sempre são corretas. Exemplos não faltam: virar o volante para a esquerda quando o carro sai de traseira para a direita, frear bruscamente, tentar girar o volante quando o carro perde o controle etc.

G1 participou do curso básico do BMW Driver Training no Campo de Provas da Pirelli, em Sumaré (SP). Desenvolvido para “doutrinar” o cérebro a não agir de forma errada em situações que exigem raciocínio rápido, a aula conta com a orientação do piloto Rodrigo Hanashiro. Ele ensina a melhor forma de conduzir o carro, sem colocar em risco outras pessoas. Confira.

 Cabeça a quatro dedos do teto

A primeira lição é o posicionamento do motorista no veículo, que não deve ficar com as pernas ou braços esticados, precisa estar com a cabeça, em geral, a quatro dedos do teto e deve pegar o volante com as duas mãos, na posição “9h15”, além de tomar cuidado com a altura do encosto de cabeça (para evitar o efeito “chicote” no pescoço em uma colisão) 

 Pé no breque

Com a postura correta é preciso aprender a frear. Parece simples, mas saber quando e como reduzir bruscamente a velocidade do carro está entre os exercícios mais difíceis. O piloto Rodrigo Hanashiro explica que em carros com câmbio mecânico sempre é preciso colocar o pé na embreagem e no freio. “Assim reduz uma das forças que atuam no carro, facilitando a frenagem”, observa. 

Outro aspecto destacado pelo piloto é que ao frear bruscamente as rodas são travadas, ou seja, o piloto perde completamente o controle da direção e não consegue desviar dos obstáculos. Hanashiro orienta que a maneira ideal de evitar um acidente é tirar o pé do freio na hora de desviar e, assim, ter o controle da direção. “Um detalhe importante é nunca olhar para o objeto a ser desviado, mas sempre para o espaço aonde quer levar o veículo. O carro vai exatamente para a direção que você olha”, explica. 

 Freios ABS

É neste ponto que está a diferença dos carros equipados com freios ABS (Antilock Brake System, em português, Sistema de Freios Antitravamento). A tecnologia permite girar o volante mesmo em situações críticas de frenagem, pois impede o travamento das rodas, principalmente em pisos de baixa aderência. Além disso, a frenagem chega a ser 20% mais eficaz. 

Entre as simulações expostas no treinamento da BMW, está a do uso do ABS em uma pista metade em asfalto e metade em paralelepípedo. Em pista molhada e a velocidade de 70 km/h, ao frear com o ABS ligado o automóvel pára sem mudar a direção. Já sem o ABS, o veículo roda e o motorista não tem controle nenhum sobre o carro. Para não rodar, o segredo é tirar o pé do acelerador e controlar o volante.

 Controle em curvas

No caso de o carro sair de traseira em curvas, nunca jogue o carro para o lado oposto. A forma correta de controlar o veículo, para ele não rodar, é girando com rapidez a direção para o lado que a traseira saiu, assim a frente compensa e o carro volta para o eixo. “Têm carros com sistema que fazem esse tipo de controle e o carro não sai do eixo, mas quando não existe esse sistema é preciso ficar atento de não cometer o erro de jogar a frente para o lado oposto ao da traseira”, observa Hanashiro.

Publicado por revistavitrini

Revista que tem o foco de expandir negócios, promover empresas e trazer artigos de utilidade e informativos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: