A perigosa relação entre obesidade mórbida e câncer

Dr. Vinícius Pena Coutinho – Cirurgião Geral e do Aparelho Digestivo do Hospital Sapiranga – Membro Titular – Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva  – Membro – Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica

Sobrepeso e obesidade mórbida há alguns anos deixaram de ser condições negligenciadas não só por profissionais da saúde, mas cada vez mais pelo público em geral, sendo de forma mais atual encarados como doenças com grande impacto na saúde pública.

Recentemente um estudo publicado em uma das mais importantes revistas científicas do mundo, a “The Lancet”, o qual envolveu 5 milhões de pessoas saudáveis avaliadas durante 7 anos, demonstrou que sobrepeso e obesidade são responsáveis pelo aumento de risco no desenvolvimento de 10 dos 22 tipos de cânceres mais comuns.

Alguns dos cânceres relacionados ao sobrepeso e a obesidade são os que aparecem nos seguintes órgãos: útero, vesícula, rim, colo de útero, tireoide, intestino e medula óssea. No caso de diagnóstico tardio desses tumores, o índice de mortalidade pela doença eleva-se, demonstrando a o impacto da obesidade na saúde do indivíduo.

Não há mais espaço para que o sobrepeso e a obesidade sejam tratados de forma superficial, como variação da normalidade, sendo de fundamental importância o reforço pela necessidade de tratamento intensivo dessas doenças. Sendo assim, a cirurgia bariátrica se tornou nos últimos anos uma opção de tratamento significativamente eficaz no combate à obesidade e às suas comorbidades.

Para os indivíduos que estão na faixa de sobrepeso (IMC > 25 e < 30 kg/m2) sem comorbidades associadas, existem tratamentos não cirúrgicos com boa resposta clínica como dietas, inibidores de apetite, exercícios físicos, etc. Já para os indivíduos com IMC > 30 kg/m2 associado a Diabetes, IMC > 35 kg/m2 associado a Diabetes e outras comorbidades e todos com IMC > 40 kg/m2, que tentaram tratamento clínico sem sucesso, a cirurgia bariátrica está formalmente indicada como a melhor opção terapêutica atual disponível.

O impacto da cirurgia bariátrica está sendo evidenciado por um número cada vez maior de estudos científicos não só no controle de comorbidades como Diabetes e Hipertensão, mas também na prevenção de doenças graves como o câncer, fazendo com que especialmente os endocrinologistas encaminhem cada vez mais pacientes sem resposta aos tratamentos clínicos disponíveis para cirurgia.

A relação entre sobrepeso, obesidade e câncer se mostra forte e perigosa. Tratar o excesso de peso de forma intensiva e séria faz com que comorbidades sejam controladas e que indivíduos com risco de desenvolvimento de câncer previnam a doença de forma adequada.

Publicado por revistavitrini

Revista que tem o foco de expandir negócios, promover empresas e trazer artigos de utilidade e informativos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: